O Vôo

Fenix

27 mars 2007

FRIDA KAHLO

summermorning_gem

Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón (1907-1954) - nascida em Coyocán, México, a 6 de Julho de 1907, Frida Kahlo é uma das pintoras mais famosas a nível mundial, tendo tido um papel importantíssimo na cultura mexicana. O talento pelas artes plásticas não se revelou precocemente, embora o pai (um fotógrafo judeu-alemão), encarasse a pintura como um passatempo.

frida_kahlo_smallA 17 de Fevereiro de 1925, um trágico acidente de viação mudou radicalmente a vida e os planos da jovem Frida. As graves sequelas físicas desse acidente, que perduraram ao longo de toda a sua vida, fizeram-la submeter-se a várias intervenções cirúrgicas e a longos períodos de recuperação e terapia.

Face à imposição da imobilidade física e ao isolamento que isso acarretava, Frida passou a dedicar-se à pintura, que representava não só um modo de ocupar o seu tempo, mas também uma forma de expressar e retratar os seus sentimentos.

Quando, surpreendentemente, voltou a ser capaz de se locomover, Frida foi à procura do famoso muralista mexicano, Diego Rivera, para mostrar-lhe os seus quadros e pedir a sua opinião. A admiração que a jovem causou no artista, em termos de qualidades artísticas e pessoais, fez nascer uma relação afectiva que culminou no casamento dos dois, em 1929.

Um ano depois, Diego foi convidado a pintar vários murais nos EUA, para onde o casal se deslocou e permaneceu cerca de três anos. Durante esse período, Frida teve um aborto, situação vivenciada por ela com muito sofrimento. Diego, no início deslumbrado com a recepção dos americanos à sua obra, desilude-se após um dos seus murais ser destruído por não ter sido do agrado de Rockfeller.

De regresso ao México, o marido de Frida continuou a envolver-se compulsivamente em relacionamentos extra-conjugais, que foram minando o casamento, até à sua ruptura, após Frida ter descoberto que Diego estava envolvido também com a irmã mais velha dela. Novamente Frida experimenta e reaviva a dor da sua existência.

Posteriormente, a pedido de Diego, Frida acolheu na casa do seu pai Leon Trotsky, que havia obtido asilo político no México. O convívio próximo entre Frida e Trotsky, que partilhavam alguns ideais comunistas, fez surgir uma relação afectiva entre ambos.

Em 1938, André Breton qualificou sua obra de surrealista em um ensaio que escreveu para a exposição de Kahlo na galeria Julien Levy de Nova Iorque e um ano depois ela expôs em Paris.

De volta ao México em 1939, a saúde de Frida agravava-se cada vez mais, levando a infecções várias e a amputações. Imobilizada durante longos períodos, apenas lhe era possível pintar, apesar das dificuldades físicas e das dores que a atormentavam. A 13 de Julho de 1954, uma semana após ter completado 47 anos de idade, morreu Frida Kahlo. Quatro anos após a sua morte, a sua casa familiar transformou-se num museu com o seu nome.

No ano de 2002, sob a direção de Juli Taymor, é lançado o filme "Frida", que narra a vida conturbada, sofrida, intensa e corajosa desta artista plástica que se tornou a mais consagrada e representativa pintora do seu país.

Frida_20Kahlo_20self_portrait_with_loose_hair_1937_400     frida_kahlo_the_love_embrace_of_the_universe_1949     the_bride_frightened_at_seeing_life_1943     69445484_c8e5ab2b3a

summermorning_bar

Posté par Fenix à 23:53 - PINTURA - Commentaires [0] - Permalien [#]

Commentaires

Poster un commentaire